13/12/2020

SOROS, YOUTUBE, STF E... NÓS?

"Esse - acrescentou sentenciosamente o Diretor - é o segredo da felicidade e da virtude - gostar daquilo que se tem de fazer. Esse é o propósito de todo o condicionamento: fazer as pessoas amarem o destino social do qual não podem escapar." 
Aldous Huxley, em Admirável Mundo Novo.


Junte uma boa dose de digitrônica, acrescente a reação dos comunistas frustrados pós fim da URSS e esprema o líquido amargo de uma conveniente pandemia facilitadora da expansão de arbitrariedades. Não chacoalhe agora, pois esta mistura é perigosamente explosiva para a cultura ocidental. Repare que uma fumaça feito reação de gelo seco em coquetel de barman em hotel 5 estrelas começa a se expandir, invadir o seu ambiente e a envolvê-lo graciosamente. Esta reação química revela que aqueles 3 ingredientes são apenas a síntese de muitos componentes não perceptíveis aos leigos e inocentes úteis. Tentemos identificá-los.

George Soros (1), 90 anos (2020), é um neurótico psicopata que se traveste de filantropo, e através de sua Open Society Foundation, já distribuiu mais de 32 bilhões de dólares (!!!) para incentivar a fragmentação das "demandas sociais" (2). Agora perca alguns minutos de reflexão e justifique que, em contraposição a este "investimento", ele doou 20 milhões para a campanha dos democratas em 2018. Eu faço a conta: isto significa que ele fez um carinho a militantes diversos mundo afora 1.600 vezes mais "adulador" para indivíduos radicais e ONGs travestidas do que para um partido político!!! Soros é um arrogante destruidor covarde. Ele evita a participação política enquanto manipula segmentos da sociedade para o cumprimento de seu objetivo de aniquilar a cultura ocidental. Ele (e outros capitalistas menos abastados, vide DAVOS e a proposta de um "GREAT RESET" mundial), em função do resultado financeiro das circunstâncias de sua vida ambiciosa (vide ganhar 1 bilhão de dólares quebrando  a Libra), deduz-se como um ser acima de todos os demais seres humanos e, portanto, tem o "dever" de tentar impor ao mundo as suas "verdades". Não se engane. Ele não é comunista. Seu desprezo por Rússia e China é o mesmo. Ele simplesmente quer, devidamente protegido pelo biombo da hipocrisia de uma elite, quando não corrupta, intencionalmente hipócrita, impor uma nova sociedade baseada na total anarquia de valores. Liberdade para Soros (e seus fãs) é o fim do Estado. O fim dos conceitos éticos e morais, de modo a permitir a livre manifestação dos mais básicos instintos de nossa espécie, desde a supressão da liberdade do outro até a aprovação da pedofilia, sem deixar de dar uma passada pela destruição da família como núcleo fundamental da construção dos indivíduos para conviver em sociedade. Com 90 anos ele assiste a tudo com a esperança de ter plantado o caos, e a certeza de que não vai estar aqui para ver as consequências. 

Obviamente não é em um parágrafo escrito por um ignorante observador que você vai entender a dimensão do problema. Apenas serve para deixar os desatentos mais "ligados". 

Passemos para o YouTube, o mais aguerrido dos novos "leviatãs", entidades supratudo que intentam controlar o mundo. Na primeira semana de dezembro assisti parte do vídeo de uma live de mais de uma hora e meia do Constantino com o médico Alessandro Loiola. Poucos dias depois, não sei precisar, me deparo com um vídeo do jornalista comentando as mensagens recebidas do YT "justificando" terem excluído da plataforma o vídeo da entrevista, alegando que as opiniões do Loiola contradiziam as orientações da OMS!!! Minha reação foi de estupefação e acabei por me manifestar assim em mensagem ao Rodrigo: "A exclusão pelo YT de sua live com o Loiola é o anúncio do apocalipse. Eu explico. Uma plataforma privada internacional criada e disponibilizada para aceitar publicar as manifestações livres de expressão, se posta acima da Constituição e das Leis brasileiras ao CENSURAR conteúdos que não estão "de acordo com suas próprias opiniões". Isto não aconteceu nem mesmo no pior momento dos militares no poder. E o silêncio do STF? Da OAB? De tantas e tantas entidades profissionais do direito? E do legislativo? E até mesmo do executivo? Então ficamos assim: se não vamos nos levantar contra esta usurpação da autonomia de uma nação, de hoje em diante quem manda na nossa consciência são as plataformas de redes sociais chefiadas pelo YT!!! É isso mesmo?" Entretanto, alguma coisa aconteceu entre aquele dia e hoje quando escrevo. Procurei pelo vídeo que anunciava a exclusão, não encontrei. Procurei pelo vídeo da entrevista e ele está publicado na íntegra (3) no YT!!!???  

Independente de ter havido um possível acordo entre o Constantino e o "leviatã" condicionando o retorno do vídeo da entrevista à plataforma à retirada do vídeo da denúncia da exclusão, a plataforma tem hoje, inquestionavelmente, uma equipe censora, que não deve ser pequena, contando com a ajuda de um aplicativo que exclui parte ou a íntegra de vídeos com base na detecção de "palavras-chaves" constantes no INDEX do Youtube (hoje, recordar a inquisição, é viver sob o regime da lacração). Para comprovar o que digo, veja o que acontece no vídeo (ação denominada de "strike") da entrevista do Gentilli com o Lacombe  (4) e tente entender o que pode ter vindo a incomodar a tão brava "equipe". E você também pode tentar entender porque o jornalista Claudio Lessa foi "desmonetizado" e  passou a ser obrigado a fazer duas edições diferentes de seu CL NEWS, uma para ser publicada no YT e outra para ser inserida nas plataformas que "ainda" não o estão cancelando. 

Passemos ao STF. Tem incauto acreditando que a decisão resultante do plenário quanto à constitucionalidade da Constituição foi um indicativo de que as "coisas" estão mudando naquela instituição. Não estão. O que aconteceu, e que veio à clareza pública, de modo até mesmo agressivo, é: em primeiro lugar, que não temos um supremo, mas vários; em segundo, que o órgão ao qual é atribuída constitucionalmente o dever primeiro de "defender" a Constituição, não a defende; e por último, que ele está hoje constituído por 4 ministros defensores de interesses próprios e comuns, por um ministro "vaselina", por um ministro "velhinho maluquinho" e por 2 ministras e 3 ministros que formam o grupo dos QTTM (Quem Tem, Tem Medo). As arbitrariedades observadas ao longo destes 2 anos de mandato do Presidente Bolsonaro, não deixam dúvida de que o STF não está subordinado à Constituição, não está a serviço de garantir o ordenamento jurídico do País e, muito pelo contrário, fez, faz e continuará fazendo para desestabilizar um governo legitimamente eleito.

E nós, como ficamos neste novo abominável mundo? Não sei. Temo pelas possibilidades. Todas as regras que conhecemos e praticamos ao longo da era industrial, pós abandono do feudalismo, da criação do Estado-Nação e das tantas e diversas declarações de "direitos humanos", estão sob bombardeio, questionamento, revisionismo histórico e radicalismos em todas as áreas de manifestação da sociedade e da cultura. Como já disse em outro texto, não temo por mim, 99% de chance de não estar mais aqui. Que meus filhos e netos encontrem a porta para uma sociedade de humanos verdadeiramente mais humana.

(1) Para um pouco mais sobre Soros: https://infomoney.com.br/perfil/george-soros/

Acrescente o que grandes capitalistas estão imaginando para os próximos passos: https://blogs.correiobraziliense.com.br/ofuturojacomecou/2020/11/24/a-nova-ordem-mundial-great-reset/

Entendo que Olavo de Carvalho instiga ódio e paixão. Mas deixe isso de lado por uma hora e assista-o nesta palestra onde não poderia ter sido mais claro: https://www.youtube.com/watch?v=JSUrJgdiIRs

Black Lives Matter: https://www.youtube.com/watch?v=o_TEF3fsz6Y

Mulher pressionada pelo Black Lives Matter: https://www.youtube.com/watch?v=jP2iMCBUXBE

(2) Por "fragmentação das demandas sociais" aponto para a consequência mais enfática da digitrônica sobre o sistema político, em sentido o mais amplo possível. O projeto de Soros foi viabilizado exatamente pelo poder de fragmentação/distribuição de mensagens e recursos financeiros. A digitrônica permite a Soros estimular demandas individuais que agregam incautos, crédulos, ignorantes e mal-intencionados, sem necessitar de uma orquestração ou liderança. O outro lado desta moeda, é que se torna quase impossível combater tal onda de "demandas sociais" pois não há "um inimigo" a ser visado, combatido. Como exemplo dessa liberdade de manifestação, veja: https://www.youtube.com/watch?v=SinfgFb7rdo


 (3)  Constantino e Loioloa: https://www.youtube.com/watch?v=0BmRGeRDMk8

O que significa "strike":


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dê sua opinião. Discorde, concorde, acrescente, aponte algum erro de informação. Participe deste blog.

ATENÇÃO: A inserção de comentário NÃO funciona no Google CHROME.

Obrigado.