02/10/2018

DESCRENTES, O SEU VOTO DEFINE O FUTURO DO BRASIL

Já que tem tanta gente dando sua opinião nas redes sociais, então aqui vou eu também. 

Gravo esta mensagem apenas como um cidadão brasileiro. Ela é endereçada principalmente aos que, em relação ao cargo de presidente, pensam em não votar; é endereçada também aos que estão propensos a votar em branco ou em anular o voto; e a todos os que ainda não decidiram em quem votar. Como cidadão, em eleições passadas estive em todas estas situações. Mas não nesta eleição. Nesta eleição de 2018, ou eu faço uma escolha e a registro na urna eletrônica, ou estarei cometendo o maior erro da minha vida. 

Eu explico. Existem duas razões para esta convicção e que vou apresentar para serem avaliadas por você. A primeira é que nesta eleição não vamos eleger candidatos para os próximos 4 anos. Não  vamos eleger candidatos por suas qualidades ou defeitos pessoais na percepção de cada um de nós, seja para nos governar, seja para nos representar no Congresso. Não. Nós vamos escolher aqueles que vão apoiar e implantar um entre dois sistemas políticos. Em especial no caso de Presidente da República, temos nesta reta final do primeiro turno, dois candidatos que não importam em si mesmos como indivíduos: eles apenas representam as duas correntes políticas e econômicas de interesses e valores opostos. De um lado aquela corrente que pretende aumentar o tamanho do Estado e desestabilizar a família (*) como principal instituição da vida social; de outro, a corrente que quer preservar e proteger a família dos ataques da esquerda comunista e diminuir o tamanho do Estado tornando-o mais eficiente e dando liberdade e dinamismo para a sociedade como um todo, e garantindo aos cidadãos a autodeterminação sobre suas escolhas, sobre suas vidas, livrando-nos da tutela de um Estado opressor. Sendo mais claro: não está (e não pode estar) em avaliação as competências e as crenças pessoais dos candidatos, seja Luladdad ou o Mito. Ao votar estaremos manifestando o que desejamos deixar para nossos filhos e netos: a pobreza endêmica dos países totalitários, ou a possibilidade de nos tornarmos um país desenvolvido como as de tantos países democráticos do ocidente. E eu não quero que eles venham me apontar o dedo no futuro porque nosso legado foi uma Venezuela.org.BR! 

Resumindo: ou escolhemos um futuro com ditadura-comunista ou um futuro com democracia-capitalista. E a escolha é nossa, quer dizer, sua.

Sim, sua. E aqui chego à segunda razão. Quando você não vota em um candidato, você está deixando que outras pessoas decidam o seu futuro. Eu entendo nossa desilusão com os políticos. Mas, um Estado-Nação como é o Brasil, a política é condição necessária e básica para a definição das prioridades da sociedade. E só sob a democracia é que a política pode funcionar plenamente. Quando você se omite de fazer uma escolha, está consequentemente aceitando qualquer resultado, e qualquer resultado significa o resultado que outros desejaram. E você deixou de manifestar sua vontade. Vote, não se omita. Se omitir é sua pior opção. Eu prefiro deitar minha cabeça no travesseiro sabendo que contribui para o processo democrático. Se o caminho escolhido ao final não for a minha opção, poderei dizer: bem eu fiz minha parte e me orgulho de pertencer ao grupo dos opositores. Do contrário, contarei com a sorte ou então amargarei para sempre a vergonha de ter me acovardado.   

E aí, qual será sua escolha?

Descrentes, o seu voto define o futuro do Brasil.



(*) O objetivo da erotização de crianças.

(**) Bolsonaro fala sobre a Cartilha do PT ensinando sexo às crianças.



Aula "prática" de sexo para crianças.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dê sua opinião. Discorde, concorde, acrescente, aponte algum erro de informação. Participe deste blog.

Obrigado.