28/05/2016

COM TEMER, COM TRÉGUA E NADA A TEMER

"Por isso, as nossas ações não devem ser realizadas primeiramente em prol de salvar os esquerdistas de suas patologias (envergonhando-o, por suas mentiras, assim como denunciando suas chantagens emocionais), mas sim por salvar-nos das consequências de suas neuroses e psicoses."
Lyle Rossiter, psiquiatra

Não se faz duas coisas ao mesmo tempo. Entre tudo, há sempre uma prioridade. 

E nossa prioridade como ação política é a trégua. Darmos uma trégua ao governo Temer, não porque é Temer, mas porque é um "outro" governo. Não porque é o PMDB, mas porque demos passos fundamentais para nos livrarmos do petismo (*) pelos próximos 25 anos, pelo menos. Precisamos nos afastar da convulsão que a Lava-Jato e Sérgio Machado estão provocando e continuarão provocando. Fizmos nossa parte. Fomos às ruas e proclamamos NÃO AO PETISMO. Cumprimos nosso dever. Agora, eles que se entendam. Todos os políticos têm rabo preso? Sim, para mim, com toda a certeza. Se há diferença entre um ou outro, é questão de intensidade, não de conteúdo. Não sobra nenhum por um motivo muito simples: o sistema de contribuição em vigor até aqui é corrupto em sua essência e, portanto, não há político eleito fora desse sistema. Eles agora que descubram um novo modelo.

Ignoremos as manifestões dos petistas ou daquelas entidades por eles controladas. O PT está derretendo. A Nação brasileira já deu o seu recado: FORA PT. Mas não deixemos de ficar alertas, ainda há por fazer. Dilma ainda ronda por aí.

É óbvio que temos divergências de como fazer isto, ou aquilo. Mas estas divergências perdem prioridade neste momento histórico. Temos que retomar o funcionamento do país. Recolocar o trem da economia nos trilhos. Concentremo-nos, por algum tempo, nas extraordinárias conquistas dos últimos 2 anos:

- O brasileiro é mais cidadão do que jamais o foi.

- Nos politizamos e reconhecemos o papel fundamental que tivemos ao irmos para as ruas.

- A justiça brasileira está sendo profundamente aprimorada tanto de dentro para fora (Moro e MP) quanto de fora para dentro (pressão da ruas e demandas provocadas pelo legislativo sobre o TSE).

- Cidadãos passaram a entender a poderosa arma que têm, as redes de comunicação digitais, e os Políticos a partir de agora sabem que estarão sempre sendo vigiados de perto.

- Inegavelmente avançamos léguas na discussão para uma reforma política que virá num segundo momento a médio prazo.

A trégua é fundamental para consolidação do que queremos para o país. O radicalismo é imbecil, e "toda unânimidade é burra"(1). Portanto, "Vamos devagar que estou com pressa"(2). 

Nada temos a temer. Estas são conquistas monumentais para um espaço de tempo tão curto, mas elas precisam ser consolidadas. Portanto,...

... TRÉGUA PARA CONSOLIDAR, passa a ser meu mantra preferido.


(*) Para entender mais sobre os males que esta religião, mais que doutrina política, fez e faz, acesse os comentários sobre o livro “The Liberal Mind: The Psychological Causes of Political Madness”, de Lyle Rossiter, um psiquiatra. 

(1) Nelson Rodrigues

(2) Henrique Meirelles

(3) Acrescento apenas três frases extraídas de artigo de opinião de Rodrigo Constantino, publicado em O Globo:

"Se nossa democracia foi responsável pela chegada de uma máfia como o PT ao poder, ela também viabilizou a retirada desse câncer político sem guerra civil."

"O recado à extrema direita: o exército não vai se deixar usar por vocês."


"A derrota do PT é a maior vitória de nossa democracia até aqui. Não é tão pouco assim."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dê sua opinião. Discorde, concorde, acrescente, aponte algum erro de informação. Participe deste blog.

Obrigado.