13/01/2015

JE SUIS HIPÓCRITA

Je suis hipócrita porque sou um líder muçulmano que acredita que a única verdade é o islamismo, gostaria de ver o mundo submisso ao islã, mas finjo que não, condeno as ações dos radicais depois delas cometidas, mas não faço absolutamente nada para desestimulá-las e evitá-las.

Je suis hipócrita porque sou um líder ocidental cristão que acredita que a única verdade é o cristianismo, imponho minha visão invadindo países de religião islâmica, seja em ações de invasão territorial, seja invadindo as mentes através dos meios de comunicação ou da propaganda direta de informação manipulada.


Je suis hipócrita porque sou um cidadão muçulmano que me acovardo frente à necessidade de me juntar a compatriotas para me organizar e lutar para mudar meu país, e, ameaçado pelas lutas entre alas de uma mesma religião, usado descarada e inescrupulosamente por psicopatas em busca do poder,  me lanço ao mar na esperança de chegar em uma costa ocidental que me acolha. 

Je suis hipócrita porque sou um muçulmano imigrado para um país desenvolvido do mundo ocidental, que me deu emprego e cidadania, mas agora, que percebo que somos muitos, quero impingir minha cultura a esse povo que me acolheu.

Je suis hipócrita porque sou um ocidental que ficou feliz em saber que haviam muçulmanos dispostos a fazer as tarefas que eu não estava mais disposto a fazer, mas que agora, que o desemprego ronda meu lar, faço passeatas anti-islamismo, anti-imigrantes de qualquer nacionalidade e religião, porque quero vê-los de volta a seus países e minhas chances de emprego de volta.

Je suis hipócrita porque sou um cidadão de um país jovem, sem conflitos religiosos e até mesmo sem conflitos raciais radicais, que não entende e nem mesmo tem como entender as razões dos conflitos do oriente médio, do mundo árabe ou da Caxemira ou de qualquer outra cultura distante o suficiente para eu achar que não me ameaça.

Je suis hipócrita porque penso poder dizer o que quer que me venha à cabeça, desenhar, rabiscar, ridicularizar quem eu percebo como uma ameaça a mim e minha família, mas que tem horror à maldita liberdade dos outros quando fazem o mesmo com meus símbolos de valor.

Paulo Vogel
Em 13/1/15

MAIS SOBRE O TEMA EM: -------------------------------------------------------------------------------------

http://pt.wikipedia.org/wiki/Isl%C3%A3o

https://www.youtube.com/watch?v=eilqE-cxkmc 

2 comentários:

  1. Nessa questão je suis "confusa"... Só consigo opinar fracionando o assunto, até porque são inumeros os aspectos! O certo é que je suis radicalmente contra a censura, contra repressão das opiniões, je suis tambem a favor da opinar se for o caso com energia, porem gentilmente. Nosso "profeta" pregava "gentileza gera gentileza" portanto o inverso é verdade: violencia gera violencia... Não vejo como o mundo vai resolver a questão do terrorismo. Terrorismo não avisa, não há como se proteger dele. E os métodos atuais só estão piorando a questão. Confesso que je suis aliviada por estar, geograficamente, distante...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maria Eugênia, mil perdões. Só hoje (agora) vi seus comentários. Liberei-os todos. Culpa minha total que não consigo configurar direito para saber quando eles entram. Não me abandone!!!

      Excluir

Dê sua opinião. Discorde, concorde, acrescente, aponte algum erro de informação. Participe deste blog.

Obrigado.