quinta-feira, março 11, 2021

O NOVO ANORMAL: MANIPULAÇÃO DOS FATOS


"Os próprios déspotas não negam que a liberdade seja excelente; mas a querem apenas para si mesmos e sustentam que todos os outros são totalmente indignos dela."

Alexis de Tocqueville

Nesta postagem vou usar um exemplo ligado à política, mas não vou falar de política.

Se a Era Digitrônica antes da pandemia já nos apresentava um "novo mundo", agora, depois das mudanças de hábitos impostas por nossos governadores em mal alegado combate à pandemia de COVID-19, nos traz muito, muito mais que um "novo normal" como inicialmente imaginamos e inocentemente previmos nos primeiros meses de 2020. Muito além das novas práticas cotidianas de asseio, distanciamento social e uso de máscara, nos assediam digitalmente em nossos celulares com práticas moralmente duvidosas que nos levam a refletir sobre quais serão as regras que nortearão, daqui pra frente, o nosso comportamento  ético em sociedade. Uma coisa já é certa: o nosso antigo normal está sendo violentamente corrompido e, para gáudio da esquerdopatia, sendo "desconstruído" pelas beiradas e substituído por um "novo anormal".

A natureza humana abarca todo um espectro de alternativas que vão desde indivíduos psicologicamente razoáveis, até aqueles que habitam o extremo da psicopatia com pitadas de esquizofrenia (1), passando, como sempre, pelos crédulos contumazes, inocentes úteis a ambos os extremos, e não esquecendo dos que hoje são chamados de isentões. Lembremos que na massa todo indivíduo é um bárbaro. Mas vou me ater ao extremo mais doentio. 

A difamação, a acusação eivada de falsidade, a manipulação de fatos, a descontextualização de falas no intuito de iludir desavisados, a maquiagem que embeleza o feio e a vilania, não são novidades nesta nova Era, pois sempre integraram o processo de aperfeiçoamento da civilização. O novo é (1) o potencial das ferramentas digitais de edição dos fatos, (2) o poder de disseminação das mensagens (em sentido amplo) para, literalmente, o mundo todo,  (3) a quase total impunidade para os falseadores/manipuladores, e (4) a facilidade que estes têm de abarcar apoiadores/seguidores expressa na quantidade de "likes".

Propagar o falso, o ignóbil, até então, tinha um limite muito estreito de consequências dado que a disseminação sempre estava sujeita a uma relação um-para-um, fosse via presença física, fosse através de uma ligação telefônica, fosse pelo envio de uma correspondência. Tais recursos redundavam em uma taxa de expansão muito lenta, permitindo tanto a reação, a tempo, à calúnia, ou ao que fosse, quanto por morte do tema ao findar o interesse na replicação. 

A Digitrônica, ao criar a relação um-para-muitos-milhões, simplesmente retirou do quadro de alternativas possíveis, tanto a possibilidade de reação a tempo, quanto de obsolescência da mensagem, pois, tal como os elefantes, a "internet nunca esquece".

Vários aspectos da nova Era podem, e devem, ser analisados (como Inteligência Artificial, privacidade, infinidade de informações na nuvem, censura oficial judiciosa, censura não governamental nas plataformas etc.), mas me atenho ao que diz respeito à dimensão da digitrônica, o suficiente para projetarmos um futuro em que nossos valores e nossos padrões de comportamento serão radicalmente diferentes dos que aprendemos e praticamos até hoje. E quando uso "nós" estou me referindo à humanidade composta por nossos descendentes muito mais do que a nós, viventes do presente. Fiquemos razoavelmente tranquilos, portanto, não estamos imunes a cair em desgraça, mas a probabilidade é pequena, bem menor que contrair a COVID!

Não me alongo mais. Apresento o que me motivou a tratar deste assunto. 

Recebi o vídeo a seguir no dia 9 de março de 2021, o "day after" da decisão de PT-Fachin anulando todas as sentenças já formadas e firmadas contra o "barbudo de 9 dedos". Aguardo você assistir antes de prosseguir:


Enquanto assistia e até o fim, tinha a impressão de que alguma coisa estava errada, não casava, não era... crível. É notória a fama de "cachaceiro" do velhinho, mas é razoável imaginar que um "cumpanheiro", estando ao seu lado seja lá em que recinto, era pessoa de sua confiança. Não dá para acreditar que tal indivíduo, não sendo um bolsonarisa, gravaria um recado para seguidores em momento tão significativo estando o personagem... bêbado? Pior ainda, imaginar que ele distribuísse tal "flagrante" nas redes sociais. Difícil de admitir tal desatino. Tendo esta percepção, fui ao Youtube e digitei "manda recado seguidores instagram". Eis o que encontrei.

 

Ficou surpreso? Saiba, portanto, que isto, e coisa ainda pior, pode acontecer com você se um demente resolver transformá-lo em alvo da ira por qualquer fala ou ato que você um dia venha cometer. Nem é preciso editar no sentido de "cortar e colar". Basta "dilatar" o tempo do vídeo e você fica... de porre. Difamar não é preciso, nunca foi, mas agora é muito fácil!

Só que...

O engano não ficou nisso. Ao olhar a data do vídeo descobri que este "recado" foi para seus seguidores quando ele saiu da prisão em 8 de novembro de 2019!!! Ao mentecapto imoral que fez uma edição arrastando o tempo do vídeo para criar a impressão de embriaguez, se associou outro desprovido cognitivo que aproveitou um outro evento para trazer de volta tal façanha pelo simples motivo que "difamar é preciso" para atender um intelecto malcheiroso que não consegue elaborar argumentos para sustentar suas crenças e valores. 

Atenção!!! Não sou lulista, espero que as próximas eleições joguem esse corrupto cínico para o limbo da história, mas, o quanto minha coragem intelectual permite, evito ser hipócrita. Não sou canalha, não sou bandido, e tenho princípios (2) dos quais não abro mão, entre eles o de não ser um "oportunista fanático messiânico" na construção e, principalmente, na divulgação de minhas opiniões.

Finalizando. Descobri a internet em 1996 e me deslumbrei. Frequentando-a diariamente desde então, evoluí meus conceitos sobre liberdade de expressão e seus limites, sobre respeito à individualidade, sobre natureza humana, e sobre regras básicas de convivência sadia. Continuo deslumbrado. É um "admirável mundo novo" tanto em sua melhor expressão quanto na pior delas. Nem nós, nem nossos filhos, estávamos capacitados para absorver a tal tecnologia em tão curto tempo. A rapidez de sua introdução na vida cotidiana foi e ainda é muito mais rápida que nossa capacidade de aprendizado. Nos resta relaxar e dar tempo ao tempo.

E, cuide-se. Não faça/fale/repercuta besteira. Você pode ser a próxima vítima!
 

(1) Esquizofrenia é uma perturbação mental caracterizada por episódios contínuos ou recorrentes de psicose. Os sintomas mais comuns são alucinações (incluindo ouvir vozes), delírios (convicções falsas) e desorganização do pensamento.

(2) Edmund Burke: Os princípios são a razão reta, expressa na sua forma permanente, e as abstrações são a sua corrupção. A conveniência é a sábia aplicação do saber geral às circunstâncias particulares. O oportunismo é a sua degradação.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Comente, se não conseguir fazê-lo aqui, faça no Grupo do Blog Hipocrisia, no Whatsapp ou no Telegram, ou mesmo no particular. É fundamental receber sua opiniões, comentários, críticas e sugestões. Obrigado desde já.

Se desejar não receber mais notificações deste blog, basta mandar mensagem para paulo@sendme.com.br colocando DESCADASTRAR no campo assunto.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dê sua opinião. Discorde, concorde, acrescente, aponte algum erro de informação. Participe deste blog.

ATENÇÃO: A inserção de comentário NÃO funciona no Google CHROME.

Obrigado.